domingo, 19 de abril de 2009

Texto: Como vivem os índios hoje?


Descubra como é o dia-a-dia dos grupos indígenas no século 21

Em 19 de abril, celebra-se o Dia do Índio. Ótima oportunidade para que você se pergunte: como vivem hoje os primeiros habitantes do Brasil? Muito tempo se passou desde que os portugueses chegaram aqui e conheceram esses povos cheios de tradições. Mais de 500 anos depois, qual é o resultado desse encontro de culturas? Pegue seu cocar e embarque nessa viagem ao mundo indígena moderno!
 
Por toda a parte...
 
Você, que está acostumado a pensar que os índios vivem na floresta, já os imaginou morando no meio do sertão? Ou na beira da praia? Pois saiba que isso é comum, especialmente na região Nordeste! Apesar disso, a maioria dos 740 mil indígenas encontrados hoje no Brasil habita regiões de floresta, em terras destinadas pelo governo a eles. Muitas dessas terras ficam no estado do Amazonas, mas também existem grupos indígenas nos outros estados da região Norte e na região Centro-Oeste, além do Nordeste e do Sudeste.

Nessas terras, os índios vivem em aldeias, em que geralmente eles mesmos produzem seu próprio alimento. As famílias se ajudam e as crianças são criadas livremente. Até aí, nada diferente dos indígenas que viviam por aqui há 500 anos. Mas saiba que, nesse tempo, muita coisa mudou. “Os índios não poderiam ter vivido em contato com o homem branco por cinco séculos e continuarem exatamente da mesma forma”, explica o antropólogo João Pacheco de Oliveira, do Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Quer um exemplo? “É muito difícil encontrar hoje índios sem roupa em uma aldeia”, conta.
 
Mistureba!
Os índios atuais absorveram diversas práticas que não pertencem à sua cultura. Muitas crianças indígenas frequentam escolas, mantidas nas aldeias pela Fundação Nacional do Índio, e aprendem o português. Mas isso não quer dizer que os indígenas tenham abandonado suas tradições, como os rituais religiosos e as danças.

“A troca cultural não destrói necessariamente uma cultura”, explica João Pacheco. “É natural que a primeira reação do ser humano ao ver as tradições de outro povo seja a curiosidade e não a hostilidade. Os indígenas têm a possibilidade de praticar as duas culturas, sem se tornarem menos índios por causa disso.”

Quer ver como é possível? Quando alguém fica doente em uma aldeia, a pessoa é tratada ali mesmo. Isso porque os índios têm muitos conhecimentos para utilizar ervas e plantas no tratamento de moléstias. Além disso, existe o pajé, um curandeiro responsável por cuidar dos doentes. Mas, quando o caso é grave e não pode ser resolvido dentro da aldeia, o jeito é levar o doente a um hospital.
 
Nas cidades
 
Agora que você já conhece essa mistura cultural, não vai se surpreender tanto ao descobrir que os índios chegaram às grandes cidades. “Em lugares como Manaus e São Paulo, eles têm movimentos organizados”, conta João Pacheco de Oliveira. “Assim, conseguem manter uma vida coletiva de cooperação e promover encontros em que mantém suas atividades rituais.”

Depois de saber de tudo isso, dá para ver que pessoas de diferentes culturas podem conviver em harmonia e aprender uns com os outros. “Conviver com índios seria uma experiência maravilhosa para qualquer criança. Eles têm muito a contar e a ensinar”, garante João Pacheco de Oliveira. De fato, quem aí não gostaria de ter um amigo indígena?

Tatiane Leal
Ciência Hoje das Crianças
17/04/2009

12 comentários:

Anônimo disse...

Gostei muito do texto e acho e acho que ele vai me ajudar bastante na escola xD mesmo ja estando em 2010 as infomações não mudo tão rapido assim principalmente a respeito desse texto que fala uma grande licão ;)

Anônimo disse...

Parabéns pelo texto carregado de humanidade, civilidade, amor e respeito à cultura indígena. Era isso mesmo que procurava para ajudar minha filha de 6 anos com um trabalho da escola. Além da rica informação, Tatiane escreve muito bem.
Adriana Urpia, Salvador-BA

Anônimo disse...

Infelizmente esse texto ñ me ajudou muito!
Pude tirar uma informações mas ñ foi muito util

Jaqueline disse...

VOU DAR UMA SUGESTÃO DE UM TEXTO SOBRE A VIDA ATUAL DOS ÍNDIOS (MUITO BOM ESSE TEXTO)

Muitos hábitos dos Índios estão se modificando ao longo do tempo.
Hoje, são 230 povos e, pelo menos a metade, vive quase que exclusivamente das fontes tradicionais (caça e pesca), enquanto outros já sabem usar computador, falam português e até atuam como políticos. Como você pode perceber, não dá para generalizar o modo de viver dos índios porque cada grupo vive de um jeito. Muitas pessoas se lamentam por pensarem que os indígenas estão perdendo sua cultura por ficarem cada vez mais parecidos com os homens brancos. Mas os indígenas se defendem e dizem que o modo de vida de toda sociedade se transforma com o passar do tempo e, com eles, não poderia ser diferente.
Hoje, existem muitos índios que vivem em casas que têm luz elétrica e som. Já somam 5 mil os índios matriculados em universidades, estudando Medicina e Direito, por exemplo, e 20 mil os professores indígenas que ensinam nas línguas que falam, “O que caracteriza ser índio ou não é o jeito de viver.”
“Os índios mantêm um espírito de continuidade, voltam às suas terras para fazer seus rituais. Alguns ainda vivem caçando e pescando como fizeram na vinda dos portugueses, outros vivem de em contato com os brancos, mas preservam sua cultura. O contato com outras culturas leva à adaptação. Os brasileiros também vivem com uma série de criações dos europeus e norteamericanos”
Os índios atuais absorveram diversas práticas que não pertencem à sua cultura. Muitas crianças indígenas frequentam escolas, mantidas nas aldeias pela Fundação Nacional do Índio, e aprendem o português. Mas isso não quer dizer que os indígenas tenham abandonado suas tradições, como os rituais religiosos e as danças.
Dá para ver que pessoas de diferentes culturas podem conviver em harmonia e aprender uns com os outros.

Anônimo disse...

ninguem percebeu que tu copiou de um outro site esse texto!
Bom, eu só queria falar que você poderia escrever mais sobre os índios porque não me ajudou muito, só coonssegui fazer 8 linhas para o meu tema(o que me interessou) poque o resto, sei lá cada um é cada um, e coloca sua opinião.

Anônimo disse...

esse texto não me ajudou muito!
tem muita pouca informação!

Marli Vieira de Oliveira disse...

Anônimo (s),

Gostaria de poder responder a todos (os anônimos) pelo seu nome, mas não vai ser possível...

Em primeiro lugar, gostaria de esclarecer que a minha intenção - a postar o texto de autoria da Tatiane Leal - não era esgotar o tema, até porque este é bastante abrangente e, muitas das vezes, divergentes, dependendo da cultura e da abertura do grupo indígena.

Segundo, eu não tenho o hábito de postar texto de terceiros sem citar a autoria e/ou a fonte de onde extrai. Tanto é que, quem lesse até o final do texto, observaria no rodapé direito a referência quanto ao autor e a fonte, na qual o mesmo fora publicado.

Achei interessante o texto até para trabalhar com crianças menores, já que o meu Blog procura atender a todas as faixas de aprendizagem.

Obrigada pelos comentários e mil desculpas por - só agora - estar o fazendo.

Marli Vieira de Oliveira disse...

Jaqueline,

Obrigada pela contribuição. Realmente, os povos indígenas precisam acompanhar a evolução e, agindo assim, não significa colocar em risco as suas tradições, a sua cultura.

O texto de Tatiane Leal não é mais abrangente e profundo, como alguns até comentaram, porque ele é voltado para o público infantil.

Obrigada mesmo!

Abraços

Anônimo disse...

legal isso vaime ajudar muito................ no trabalho da escola

Anônimo disse...

legal e interesante

Anônimo disse...

Muito legal esse texto me ajudou muitooooooooooooooooooooo

sabryna mattos garcia disse...

bom adorei o texto mais como já tinham citado antes o texto tambem não me ajudou muito no trabalho da escola mais deve servir para outras pesquisas sem ser escolar*.*